ENAPA





De conferentie van de ENAPA (adoptie van kinderen) in Recife werd bijgewoond door dra Shirley van der Zwaan, onze vertegenwoordiger van RealAid in Santo Andre, Sao Paulo.
Zij vertegenwoordigt de stad Sao Paulo en deze activiteit wordt door onze Stichting gesponsord.
Bijgaand haar verslag van de conferentie (in het Portugees)




RELATÓRIO PARA REAL AID AOS CUIDADOS JAN LUCAS

Realizei viagem para Recife- PE , no dia 28 de Maio 2008, em vista das vantagens no pagamento da passagem aérea, quando lá cheguei visitei o projeto “ Visão Mundial- World Vision “, que atua no Brasil desde 1975, onde fui atendida pelo Sr. José Augusto ( jose_augusto@wvi.org) ( www.visaomundial.org.br) o qual explicou que o diretor nacional é o Sr. Carlos Queiroz, sendo que a sede da organização situa-se na Rua da Concórdia, 677-2º andar- Bairro São José- Recife-PE-CEP. 50020050 ( tel. 81.3081.56.00).

Visão Mundial tem como objetivo assegurar que o Processo de desenvolvimento transformador eja sempre baseado n comunidade e focadas no bem estar das crianças de maneira sustentável.

Pude verificar a grandiosa estrutura que dispõe a Visão Mundial, e, além dos 90 funcionários, trabalham com vários projetos inclusive de apadrinhamento de crianças brasileiras, por estrangeiros e também por brasileiros. Os “ padrinhos” colaboram no exterior com cerca de U$ 45,00 ( quarenta e cinco dólares ), e quando os padrinhos moram no Brasil, colaboram com cerca de R$ 35,00 trinta e cinco reais a fim de manter uma criança. O projeto prioriza as crianças que vivem em comunidades empobrecidas em situação de vulnerabilidade.

Esclareço que visitei apenas as dependências administrativas pois no projeto em si, necessitava agendamento e eu não dispunha de tempo , constatei que a experiência com relação a “ VIDAS TRANSFORMANDO VIDAS “ é muito forte naquela organização , sendo certo que acreditam que transformam vidas com a missão e vocação ,além de serem transformados pela sabedoria, criatividade e resistência das comunidades que atendem.

Os 23 projetos que mantém recebem colaboração de pessoas dos EE.UU, Hong Kong, Austrália, Canadá e outros, e atendem famílias e crianças pobres, tendo mais ou menos 78.000 inscritos tanto nacionais quanto internacionais, e, 58.000 apadrinhados; no Brasil atendem 13.000 crianças os quais recebem patrocínio de 9.000 colaboradores; para se inscrever no projeto a comunidade deve pedir a inicialmente a inscrição a qual será avaliada pelos técnicos

Meu parecer é de que o projeto da visão mundial pelo visto atende as necessidades das comunidades e deve ser um incentivo para outros projetos que porventura virem a existir, visto que atende o bem estar das crianças e de suas famílias, empoderam meninos e meninas como agentes de transformação, existem ações de promoção de justiça articuladas com outras organizações e movimentos que contribuem para a mudança de estruturas e sistemas injustos de exclusão social, e como objetivo tem os princípios cristãos gerando relacionamento equitativos, pacíficos, justos, produtivos e inclusivo dentro das famílias e nas comunidades.

Quanto ao XIII ENCONTRO NACIONAL DOS GRUPOS DE APOIO À ADOÇÃO – ENAPA , tendo como tema a ADOÇÃO: NOVOS RUMOS E RITMOS, o encontro deu-se no período de 29 a 31 de maio de 2008 , no Mar Hotel – Recife-PE, ressaltando que a cada ano o evento ocorre em um Estado propiciando assim a participação de toda a Nação bem ainda de demais participantes de outros Países interessados no assunto.

Iniciou-se a programação com o credenciamento e recebimento de material e Sessão de Abertura no Mar Hotel sendo que a Recepção aos participantes foi marcada com grande êxito pois crianças de Organizações não governamentais dançavam a todo momento a dança típica de Pernambuco, qual seja o frevo , um dos ritmos do evento .

O conferencista Dr. Sávio Bittencourt , Promotor Público em Niterói-RJ, também presidente da Angaad (Associação Nacional dos Grupos de Apoio à Adoção. ), também pai por adoção, fez a abertura do evento esclarecendo aos participantes a importância de estarmos enquanto sociedade civil organizada, trabalhando pela causa da adoção durante estes longos anos. Após, foi apresentado um Show com o poeta regional Jessier Quirino , quando então foi oferecido um coquetel com apresentação musical.

No dia 30 de Maio 2008, Dr. Marcelino Bandin , geneticista e psiquiatra em Pernambuco, também pai por adoção, pode em sua palestra, colaborar com os trabalhos, apresentando trabalhos científicos desmistificando a genética, já que muitos pretendentes a adoção acreditam que muitos problemas existentes nas crianças adotadas são gerados a partir da genética, assim como a caractéritica das crianças, humor, raiva, ansiedade, estilo cognitivo ( atributos positivos e negativos ) estresse, etc , no entanto, tal profissional deixou claro que nem todos os problemas são genéticos e que muitos deles existem também em crianças que residem em suas famílias naturais, portanto, filhos biológicos. Nos intervalos para coffee break houve a participação novamente, de crianças dançando o Maracatu.

Após este debate, sob a coordenação de Suzana Sofia Moeller Schettini, foi debatido o tema do abandono à adoção, novos rítmos e possibilidades , dando aos debatedores 20 minutos para a exposição de seus trabalhos.

Os debatedores foram :
1. A adoção como medida de proteção: um olhar a luz do PNCFC – Dra. Carmen Silveira Oliveira – Presidenta do Conanda.
2. Intervenção institucional em abrigos: ações integradas e articuladas no município de Aracaju - Marlizete Maldonado Vargas - Psicóloga/pesquisadora - UNIT/Sergipe
3. A importância dos cursos preparatórios para a adoção: a experiência do GEAAGO – Vera Cardoso – GEAAGO – Goiânia/GO
4. O suporte psicológico no pré e pós-adoção: o papel das universidades – Dra. Edilene Freire Queiroz – Psicóloga/pesquisadora – SOFIA/UNICAP

Após esta mesa, tivemos o depoimento de dois rapazes, homo-afetivos, que brilhantemente falaram sobre suas experiências sobre adoção, e, emocionalmente esclareceram que não há problemas em duas pessoas que se amam adotarem crianças. O público aplaudiu.

No período da tarde sob a Coordenação do psicólogo Fernando Freire, o tema foi sobre as Adoções necessárias: outros olhares cada palestrante teve sua explanação e ao final 20 minutos para os debates. Os temas e os palestrantes foram :

1. Adoção de crianças negras: inclusão ou exclusão? – Ana Maria da Silveira - Assistente Social - SP
2. Crianças com necessidades especiais: os caminhos possíveis - Clélia Zitto Cezar - Mogi das Cruzes/SP.
3. Crianças soro-positivas: a necessidade de novos rumos - Geronimo Pereira Barretto – Presidente do Grupo de Assistência Social Sempre Viva – PE.
4. 1 ano da campanha “Mude um destino” – Dr. Airton Mozar Valadares – Presidente da Associação da Magistratura Brasileira .
No intervalo, tivemos a apresentação de um repentista .

No final da tarde trabalhamos com as Oficinas quais foram :

A) Oficina para educadores – A inclusão da temática da adoção no projeto político-pedagógico das escolas – Luiz Schettini e Equipe do Gead - PE
B) Oficina para pretendentes – A maternagem na adoção: Aspectos psicológicos – SOFIA/UNICAP - PE Aleitamento materno para mães adotivas – Dr. Luiz Amaral – Psicólogo - PB
C) Oficina para pais adotivos: Famílias adotivas: Adoção: um projeto familiar – Cristina Souza Brito Dias – Psicóloga/pesquisadora – SOFIA/UNICAP - PE Mitos e preconceitos: como enfrentá-los? Lídia Levy – Psicóloga/pesquisadora - RJ
D) Oficina para técnicos do sistema de justiça: O papel das equipes técnicas do sistema de justiça na garantia da adequada escolha dos adotantes Leila Dutra de Paiva - Psicóloga Judiciária – TJE/SP
Grupo E – Temas livres Coordenação: Vera Cardoso – GEAAGO - GO
Grupo F – Temas livres Coordenação: Marlizete M. Vargas -SE
Grupo G – Temas livres Coordenação: Edineide Maria da Silva – Juizado da Inf. e da Juventude – PE
A importância das oficinas foi debater todos os assuntos acima citados, com os integrantes dos Estados Brasileiros, que estavam ali representados, com exceção de dois Estados, os demais faziam-se presentes. Foi rica a participação de todos, vez que em cada um dos Estados tem suas peculiaridades e, isto enriquece o debate. Cada criança brasileira as quais encontram-se nos abrigos, sofrem com o abrigamento e muitas vezes com o descaso, isto para mim ficou muito claro durante todos os trabalhos.

Durante a noite, fomos convidados para um Show no Teatro Santa Izabel com a Orquestra Criança Cidadã , onde várias crianças em situação de risco social e vulnerabilidade, puderam mostrar que tendo oportunidade, conseguem ir longe. A apresentação da orquestra foi maravilhosa o que faz com que tenhamos olhos para estas crianças esquecidas e com tantos dons.

Posteriormente foi a apresentação do Balé Popular do Recife .

No sábado dia 31/05/2008 novamente tivemos a conferência sobre As dores da adoção: possibilidades de superação pelo psicólogo Luiz Schettini Filho – PE, grande escritor brasileiro, que deixou claro que pode haver superação das dores, quando se existe amor, quando damos oportunidade para as crianças, enfim, quando oferecemos dignidade à elas.

Na Mesa Redonda deste dia, tratamos dos Novos rumos do procedimento adotivo: segurança e celeridade sob a coordenação do Dr. Humberto Vasconcelos Jr – Coord. da Infância do Tribunal de Justiça de Pernambuco , sendo dado 20 minutos ao debate ao final das apresentações .
Neste momento foram apresentados os seguintes trabalhos :
1- O cadastro nacional unificado e a uniformização de procedimentos nos processos de Adoção e de Decretação de Perda do Poder Familiar – Desembargador Dr. Luiz Carlos Figueiredo - PE
2- Cautelas a serem observadas nos procedimentos adotivos: as conseqüências da inobservância das regras legais – Dra. Laíse Tarcila de Queiroz - PE
3- Varas especializadas em Adoção e Decretação de Perda do Poder Familiar e a fixação dos critérios prévios de preferência entre adotantes: vantagens e desvantagens – Dr Élio Braz – Juiz da 2ª Vara da Inf. Juv. Recife - PE
4- A inclusão em família substituta como forma de previnir a institucionalização prolongada – Dr. Francisco Oliveira Neto – Juiz da Inf. Juv. Florianópolis - SC
5- O papel da ACAFE no controle das adoções internacionais – Dra Patrícia Lamego (Autoridade Central Administrativa Federal)
Posteriormente apresentou-se a Mesa redonda da Angaad- Associação Nacional dos Grupos de Apoio à Adoção. O aumento do número dos Grupos de Apoio à Adoção, ano após ano, é evidente. A partir da iniciativa de pais adotivos ou não, técnicos do Judiciário e universidades, enfim, todos os profissionais e amigos que abraçaram a causa "adotiva", grupos se estruturaram em todo o Brasil, trazendo a necessidade da criação de uma associação que pudesse representar objetivos e estabelecer metas comuns a todos. Para a ANGAAD, Grupo de Apoio à Adoção é toda a sociedade civil sem fins lucrativos que desenvolva atividades voltadas ao Apoio à Adoção e atenda aos seguintes objetivos:
a) prevenir o abandono;
b) atender a crianças e adolescentes em situação de abandono;
c) apoiar famílias adotivas e pretendentes à adoção;
d) divulgar a prática, importância e cultura da adoção
Novas perspectivas do movimento nacional , inclusive falando sobre a força de nossos trabalhos, onde a maioria é voluntário e, através de uma sociedade civil organizada, podemos nos representar pela Angaad, Associação Nacional dos Grupos de Apoio à Adoção, discutimos muito ainda sobre a inclusão nos anais das escolas à respeito do filho por adoção, capacitando a todos os professores, vez que nas escolas ainda continuam solicitando no dia das mães a foto da mãe grávida, gerando desconforto para as crianças.

Tivemos vários grupos temáticos conforme segue :

Grupos temáticos: Compartilhando experiências em busca de novos rumos e ritmos sendo que todos os relatores apresentaram na plenária um resumo dos trabalhos feitos em salas .

Grupo A – Grupos de Apoio à Adoção Coordenação: Fernando Freire-SP e Bárbara Toledo-RJ
Grupo B – Técnicos das Varas da Infância e Juventude, Ministério Público, Abrigos e Conselhos Tutelares Coordenação: Paulo Sérgio Santos - SP
Grupo C – Comissões de adoções internacionais e entidades estrangeiras Coordenação: A definir
Grupo D – Promotores e Juízes Coordenação: Dr. Sávio Bittencourt - RJ
Grupo E – Profissionais da educação Coordenação: Luiz Schettini Filho e Eneri Albuquerque - PE
Na Plenária foi feita a Apresentação dos resultados das discussões nos grupos temáticos e Enapinha ( com as crianças ), as quais mostraram através de cartazes a importância de ser filho por Adoção, e a importância de terem famílias assim constituídas, tudo, sob a Coordenação de Suzana Sofia Moeller Schettini e Eneri Albuquerque, foi também discutido o plano de convivência familiar e ainda o plano nacional de convivência.

Para sediar o XIV Enapa sob a Coordenação: Sávio Bittencourt – presidente da Angaad- Associação Nacional dos Grupos de Apoio à Adoção Posteriormente foi eleita por unanimidade, São Paulo-SP.

Foi dado o encerramento do Congresso com atividade cultural , uma grande ciranda e a noite com um jantar onde várias pessoas participaram inclusive eu.

Quanto a participação da Real AID em patrocinar minha ida ao evento, posso informar que no âmbito de poder promover a justiça e combater as causas da pobreza bem ainda do abrigamento de crianças que poderiam ter condições de serem encaminhadas a família substituta, até mesmo mediante adoção, houve por parte dos patrocinadores , grande preocupação em que nós pudéssemos ser agentes multiplicadores na divulgação do evento junto ao Grupo de Apoio a Adoção Laços de Ternura, ou em outras entidades interessadas no tema ; bem ainda vivenciar experiências diferentes como aquelas da “ Visão Mundial “, diante desta preocupação e responsabilidade social, temos apenas que agradecer ao presidente da Real AID e a todos os colaboradores dessa instituição, que, mais uma vez demonstraram estar preocupados com a causa dos menos favorecidos, principalmente das crianças, já que para elas é necessário amor, afetividade, proteção, satisfação, família e doação, já que a dor do filho adotivo precisa ser repensada.

Atenciosamente,

Shirley Van der Zwaan.